quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

1. La Valse d'Amélie - Yann Tiersen
Não sei se por fazer parte da trilha sonora de um dos meus filmes preferidos, O Fabuloso Destino de Amelie Poulain, e aí toda vez que a escuto acabo, inconscientemente, resgatando a história do filme junto com essa música ao fundo na minha cabeça, mas, é fato, eu sempre choro. Sério, quando ouço essa música, não dá outra: sentimento de angústia -> olhos umedecem -> depressão.
Já nos primeiros acordes do piano, meu coração se aperta e eu sou transportada para uma fossa que, logo depois de ouví-la, se eu quiser voltar ao normal, preciso de fortes doses do Trenzinho Carreta Furacão. O poder de tristeza dessa música sobre mim é tão forte que quando eu estou realmente triste por algum motivo qualquer, eu tenho medo de escutá-la e cortar meus pulsos, com direito a filmagem e upload do meu suicídio no Youtube usando o resto das minhas forças, apenas para forçar o drama.

2. The Killing Moon - Nouvelle Vague

Para os haters de plantão, eu sei que essa música, na verdade, é do Echo & The Bunnymen, mas eu realmente me refiro a versão do Nouvelle Vague. Mas bem, ao contrário do que normalmente acontece com músicas que tem efeitos como, água correndo e canto de pássaros, nessa música não fica brega (não achei, ok?), até caiu bem. A música já começa bem triste e quando você escuta a voz de lolita indefesa da vocalista, puta merda, que dó. É aquele tipo de música que depois de levar um fora, qualquer menina escutaria deitada na cama em posição fetal abraçando Tedd, seu ursinho de pelúcia, enquanto chora e baba, ao mesmo tempo. Enfim, complicado.

3. The Tourist - Radiohead

Radiohead. Acho que não precisaria comentar mais nada, ne? E por favor, não me venham com Creep, além de clichê, essa música deveria se chamar "Bulliyng". É muito "bebê chorão" pra mim.
Mas The Tourist, cara, puta merda, o que são esses acordes iniciais? Me dá a impressão de que eles estão caindo, pularam de um prédio por não aguentar o encargo do resto da música.
Aí não bastando essa harmonia suicida, começa com a voz meio rouca do Thom York fodendo tudo. Ainda há sobreviventes? Não por muito tempo. Refrão: "Heeeeeeeeey, man. Slow down."
O ponto mais forte dessa música é que esse refrão ficará na sua cabeça pelo resto da semana, apenas te fazendo ser uma pessoa mais amarga e triste do que você já costuma ser.

4. Não Vale A Pena - Maria Rita
Não acho essa música tão triste quanto as outras; definitivamente não é alegre, vibrante, mas também não dá aquela angústia iminente. Resolvi colocá-la na lista mais para chamar atenção a letra dela.
Não sei se por causa da interpretação de Maria Rita, mas quando escuto essa música, imediamente, imagino uma coroa com seus 50 e poucos anos, tomando um uísque sozinha em alguma mesa de um piano bar, enquanto chora as pitangas por causa do marido que a largou por uma mulher de 25 anos.

"De repente, cai o nível
E eu me sinto uma imbecil
Repetindo, repetindo, repetindo
Como num disco riscado
O velho texto batido
Dos amantes mal-amados
Dos amores mal-vividos
E o terror de ser deixada
Cutucando, relembrando, reabrindo
A mesma velha ferida"

Essa música escancara a dor de uma forma brutal, como se estivéssemos lendo o diário de alguma mulher com o coração e a dignididade em cacos espalhados pelo chão. Foda, ne?

5. In The Backseat - Arcade Fire
Por fim, mas não menos importante (apesar de ser um top 5 e de eu estar numerando as músicas, elas não obedecem exatamente a essa ordem, ao menos pra mim), apresento uma das minhas músicas preferidas. Primeiramente, tenho que dizer que a voz da Régine Chassagne é aterradoramente doce e meiga demais para não se emocionar. Pra completar, vem esses fucking violins e toda a harmonia se encaixa de uma forma que, mesmo que a letra da música fosse uma receita de bolo, quando eu ouço no refrão "Alice died...", não dá pra não morrer um pouquinho também.
Enfim, caros leitores, acho que depois desse post, vou ali tomar um Prozac.


PS: Inspirado nos Top 5 deste blog aqui. Recomendo muito.

3 comentários:

Traga a vasilha disse...

Cadê aquela música de Tiririca sobre o menino que escolheu o próprio nome? Sempre achei triste ele ser coagido a escolher "José"...

Bruna (Elnath) disse...

Eu estava procurando por esses blogs da vida palavras que me animassem, e encontro um Top 5 de músicas tristes...rs
Só me resta escutar Yann Tiersen pra acompanhar minha tristeza!!
Obrigada pela dica :)

ella. disse...

não conheço as outras músicas, mas a trilha sonora de le fabuleux destin d'amelie poulain é fantástica, e também é um dos meus filmes favoritos!

beijos

@rafaellagappo :)

Postar um comentário

 

Copyright 2010 Delírios Céticos.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.